APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Notícia

 

19/05/2017
São Paulo terá um corredor verde para atrair insetos polinizadores
Uma das maiores metrópoles da América Latina terá um corredor verde para atrair insetos polinizadores, como abelhas nativas sem ferrão, borboletas e besouros. O corredor será implantado na calçada de 450 metros do Instituto Biológico (IB-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, na Vila Mariana, em São Paulo. Em 28 de maio de 2017, às 9h, o IB realizará evento para reunir a população, que ajudará no plantio das 27 espécies de árvores, arbustos e forrações. O evento marca o início da Semana Internacional do Meio Ambiente e a comemoração do aniversário de 90 anos do IB.

Inspirado na “rodovia” para abelhas, da Noruega, e na “estrada para borboletas”, dos Estados Unidos, o projeto brasileiro visa atrair os insetos polinizadores e promover a conservação e recuperação do ambiente natural e urbano. De acordo com Antonio Batista Filho, diretor-geral do Instituto, o objetivo é qualificar e enriquecer a vegetação existente nas calçadas do IB, como forma de atrair os polinizadores. “Essa é uma ação tão importante quanto plantar florestas, pois criará conexões entre os bosques, maciços e florestas já existentes, favorecendo o serviço dos polinizadores, o que é muito benéfico para a ampliação da biodiversidade na cidade”, explica.

O corredor, montado na calçada do IB, ligará a Avenida Conselheiro Rodrigues Alves, no trecho compreendido entre a Rua Dante Pazzanese e Avenida Ibirapuera, e a Rua Amâncio de Carvalho, no trecho entre a Rua Dante Pazzanese e a Rua Astolfo de Araújo. O local conta, atualmente, com 60 espécies de plantas, entre palmeiras, árvores e arbustos, que foram previamente mapeadas e analisadas, para que pudessem ser identificados os espaços disponíveis para o novo plantio.

Em 28 de maio, começará a ser feito no espaço o plantio simbólico de plantas nativas de São Paulo, como o pau cigarra, bracatinga, carvalho brasileiro e embiruçu, entre outras. Segundo Sérgio Shigeeda, integrante do Cades/Agenda 2030 Vila Mariana, que participa do projeto, as espécies de plantas passaram por uma seleção criteriosa que levou em conta o tamanho das copas e das raízes – por serem plantadas próximas das vias e de fios elétricos – e a viabilidade da conservação e manutenção. “Também escolhemos espécies de desenvolvimento lento, médio e acelerado, contemplando atratividade para abelhas, avifauna e outros insetos. O foco da ação está na introdução das espécies e não na quantidade de mudas”, explica.

Importância dos polinizadores

A ideia do projeto é mostrar para a população urbana a importância dos insetos polinizadores para a produção de alimentos. As abelhas, por exemplo, além de gerar produtos como mel, pólen, própolis, geleia real e cera, são consideradas os principais agentes polinizadores em ambientes naturais e agrícolas. Cerca de 30% a 40% da produção mundial de alimentos necessita de polinização.

Esse serviço ecossistêmico é considerado essencial para a manutenção das populações selvagens de plantas e imprescindível para a produção de alguns alimentos nos ambientes agrícolas, como maçã, melão e laranja. “Apesar da importância, as abelhas, por exemplo, sofrem com o fenômeno chamado Síndrome do Colapso das Colônias, que tem diminuído a população desses insetos. O chamado CCD tem causas multifatoriais e é objeto de estudo no mundo todo”, explicou Harumi Hojo, pesquisadora do Instituto Biológico.

Educação ambiental

Para Harumi, o corredor incentiva a discussão sobre a importância dos polinizadores e é mais uma ação do Instituto para contribuir com a educação ambiental. O IB mantém o Planeta Inseto na Capital paulista, único zoológico de insetos do Brasil, que tem em sua área externa meliponários com quatro espécies de abelhas nativas sem ferrão: Jataí, Iraí, Mandaçaia e Uruçu-Amarela.

“Chamar a população para nos ajudar no plantio das mudas é importante, pois cria nas pessoas, principalmente nas crianças, o senso de responsabilidade com as plantas e com os insetos polinizadores. Durante o evento, discutiremos ainda assuntos importantes para a sustentabilidade e conservação da biodiversidade, e assuntos correlacionados como a água e os resíduos sólidos. Queremos criar uma conexão entre as pessoas e a natureza”, afirma Shigeeda.

O corredor verde para os polinizadores é uma iniciativa da Secretaria de Agricultura, por meio do Instituto Biológico, implementado pelo Cades/Agenda 2030 Vila Mariana e pela Prefeitura Regional da Vila Marina, com apoio da Prefeitura Regional da Lapa e da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente.

Para o secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, o projeto é importante, principalmente, por reunir instituições ligadas à pesquisa e conservação ambiental e sociedade civil. “Duas diretrizes importantes do governador Geraldo Alckmin para a Pasta são a produção em harmonia com o meio ambiente e a aproximação dos Institutos de pesquisa com a sociedade. Essa iniciativa reúne essas duas orientações”, afirmou.

SERVIÇO

Corredor Verde para Polinizadores


Data: 28 de maio de 2017

Horário: 9h

Local: Instituto Biológico (IB)

Endereço: Avenida Conselheiro Rodrigues Alves, 1.252, Vila Mariana – SP

Por Fernanda Domiciano

Assessoria de Imprensa – APTA

(19) 2137-8933

|Voltar|