cabecalho apta130219

×

Aviso

There is no category chosen or category doesn't contain any items

ALTA DOS PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL PODE PUXAR INFLAÇÃO PARA CIMA

Na última quadrissemana de julho houve queda de 0,80% no Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR), conforme apurou o Instituto de Economia Agrícola (IEA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Os produtos de origem vegetal (IqPR-V), com variação negativa de 5,67%, puxaram o resultado. Já a alta de 9,23% dos produtos de origem animal (IqPR-A) deverá contribuir para o aumento do índice de inflação geral do País no item alimentação, porque o “peso” desses produtos é significativo. “A inflação é a evolução dos preços de uma cesta de mercadorias. Algumas empurram a inflação para cima e outras para baixo. O leite, por exemplo, tem subido muito nos últimos meses, mas a inflação está baixa porque outros produtos compensaram essas altas. Então, pode sempre acontecer de o comportamento de alguns produtos compensar o de outros. Neste momento, todos os índices estão mostrando a possibilidade de aumento da inflação por influência, especialmente, do leite e da carne”, explica o pesquisador do IEA, José Sidnei Gonçalves. Tirando-se a cana-de-açúcar do cálculo do IqPR, a variação fica positiva em 2,51%, mas o IqPR-V permanece negativo (4,03%) devido à queda nos preços da laranja para mesa (de 21,06%) e para indústria (5,16%), assim como da batata (12,28%) e do feijão (7,58%). O preço da cana caiu 7,31%. A boa oferta da laranja e da batata é a responsável pelo comportamento dos preços. No primeiro caso, a diminuição do consumo da fruta e de suco no inverno também teve peso importante. A queda no feijão foi relacionada às boas cotações ao produtor em junho. As maiores altas foram da banana nanica (25,18%), carne de frango (18,42%), leite tipo C (10,59%), carne bovina (8,16%) e leite B (3,78%). A entressafra influenciou o resultado para a banana, o leite e a carne bovina. O frango continua com boas exportações, pressionando o mercado doméstico. O ovo está em período de pequena oferta. De março a julho, o IqPR acumulado apresentou perda de 14%. Os produtos de origem vegetal seguem a tendência de queda iniciada em março, devido às menores cotações de produtos como a cana, o tomate, a laranja, a banana, a batata e o algodão. Os produtos de origem animal registram alta pelo segundo mês consecutivo, com variação positiva acumulada em 17% desde maio. Para visualizar as cotações e gráficos do índice agropecuário, clique aqui:www.iea.sp.gov.br Informações: Assessoria de Comunicação Tel.: 11 5067-0069 – www.agricultura.sp.gov.br Euzi Dognani/ Adriana Rota