cabecalho apta130219

Brasil quer ser exportador de biocombustíveis

A pesquisa integra o Projeto Brasil 3 Tempos, conduzido pelo NAE, com o objetivo de acelerar soluções estratégicas para áreas apontadas nas consultas públicas como de maior prioridade para o País (educação, crescimento econômico, energia etc). Segundo o estudo coordenado pelo professor da UFRJ, desde 2004, quando os preços do petróleo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) começaram a disparar, políticas de segurança de abastecimento energético estão no topo da agenda de diferentes países. São políticas fortemente voltadas para a redução da dependência energética e, ao mesmo tempo, para a redução dos impactos ambientais decorrentes da produção e do uso dos derivados de petróleo. A vantagem do Brasil no cenário mundial é significativa, concluí o levantamento da matriz brasileira que contou, ainda, com análise comparativa das políticas de segurança energética dos EUA, China, Alemanha, França, Inglaterra, Índia, Japão e Suécia. Foi através dessa análise comparativa entre os países, porém, que os estudiosos consideraram a necessidade de o governo planejar ações e instrumentos de uma política de alteração estrutural na matriz brasileira de combustíveis. Quem será responsável pela arbitragem dos preços dos biocombustíveis no mercado? Como regular o abastecimento? O trabalho dos pesquisadores, que inclui a avaliação de três cenários futuros com preço baixo, preço em alta e disparada do petróleo, deverá auxiliar outros estudos do NAE, apontando o caminho para soluções estratégicas do Brasil 3 Tempos. (fonte: IDEA OnLine)
Pin It

Notícias por Ano