cabecalho apta130219

Diminuição global de rãs é estudada pelos Institutos de Pesca e Biológico

O fungo oportunista Batrachochytrium dendrobatidis (Bd), popularmente conhecido como Chitridio, tem levado inúmeros anuros à diminuição mundial e até mesmo à extinção. Trata-se de fungo zoospórico não hifal, que infecta anfíbios, espécie descoberta nos anos 1990. A presença do Bd, relatada recentemente no Brasil, despertou o interesse de pesquisadores brasileiros e estrangeiros em aprofundar os conhecimentos neste assunto. A ameaça às rãs levou os pesquisadores Cláudia Maris Ferreira, do Instituto de Pesca (IP-APTA), e Márcio Hipólito, do Instituto Biológico (IB-APTA), vinculados à Secretaria de Agricultura e Abastecimento, a desenvolverem um trabalho em conjunto com o Consortium for Conservation Medicine NY/USA (www.conservationmedicine.org). O Consortium é uma instituição empenhada em entender a ligação entre as alterações ambientais devido a influências antropogênicas, a saúde das espécies e a conservação da biodiversidade. Os pesquisadores paulistas estão auxiliando os estudos da pesquisadora norte-americana Lisa Shloegel, como explica Cláudia Maris. “Nosso trabalho consiste basicamente em coletar rãs criadas comercialmente (rãs-touro) e espécies invasoras de ranário (Leptodactylus, Hypsiboas), identificá-las, verificar visualmente a presença do fungo oportunista e proceder ao diagnóstico em laboratório.” “Estamos também realizando a cultura do parasito para, após sequenciamento genético, saber se há polimorfismo entre as amostras coletadas em outros países da Ásia e nos Estados Unidos”, prossegue Maris. Existe uma preocupação global no monitoramento das espécies afetadas e sobre como ocorre a distribuição e o comportamento deste fungo (prevalência, subtipos, morfologia). A pesquisadora Lisa Shloegel já veio três vezes ao Brasil e, para formalizar esta parceria, foi assinado um “Termo de responsabilidade para transporte de amostras de componente do patrimônio genético para fins de Pesquisa Científica - TRM”, de maneira a atender a recomendações do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (IBAMA). Assessoria de Comunicação do Instituto de Pesca Antonio Carlos Simões/Michele Barros (13) 3261-5474 e (11) 3871-7530 Assessoria de Comunicação da APTA José Venâncio de Resende (11) 5067-0424
Pin It

Notícias por Ano