cabecalho apta130219

Instituto de Pesca participa de Rede Latino-Americana de Conservação de Moluscos Bivalves

Por Antônio Carlos Simões Futuras cooperações e a definição de estratégias, em médio prazo, para a integração de projetos e de iniciativas de cooperação na área de conservação de ostreídeos e mitilídeos na América do Sul foram discutidas no encontro “Estado de Conservación de Bivalvos Bio-ingenieros (Mytilidae y Ostreidae) en Latinoamérica: Situación Actual y Perspectivas”, que integrou o “VII Congresso Latino-americano de Malacologia (VII CLAMA) e The Nature Conservancy”, realizado nos dias 8 e 9 de novembro no campus da Universidade Austral do Chile, na cidade de Valdívia. O Brasil foi representado pelo pesquisador Marcelo Barbosa Henriques, do Instituto de Pesca (IP-APTA) vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Os resultados obtidos nesse encontro foram divulgados na “11th International Conference on Shellfish Restoration”, que aconteceu em Charleston, South Carolina (EUA), de 19 a 22 de novembro, segundo Henriques. Entre esses resultados, foram apresentados exemplos de conservação de bivalves nos diferentes países latino-americanos. De acordo com Marcelo Henriques, além do Brasil, outros países, como a Argentina, Chile, Colômbia, Uruguai e Venezuela, participaram do evento com a presença de especialistas em bivalves marinhos. Também compareceu a Nova Zelândia, país considerado referência em conservação de bivalves “bio-engenheiros” (explorados comercialmente). O encontro, destinado ao estabelecimento de temática de interesse da comunidade científica para a conservação de ostras e mexilhões explorados na América Latina, foi composto de discussões sobre os seguintes temas: análise de ameaças; dados da condição dos bivalves e revisão de dados continentais das prováveis ameaças; e comparações iniciais entre a circunstância atual e as ameaças presentes. O evento também tratou da identificação de análises adicionais (comparação das ameaças detectadas e dados globais); dos níveis de risco e ameaças preliminares para as populações de moluscos bivalves; de estratégias de oportunidades de conservação; e de análises adicionais e discussão de trabalhos publicados referentes ao tema, além da proposta de formação de uma rede latino-americana de conservação de moluscos. Relevância brasileira O Instituto de Pesca foi a única instituição científica brasileira a participar do encontro. Para Marcelo Henriques, manter um pesquisador como membro da futura Rede Latino-americana, que cuidará da conservação de moluscos bivalves “bio-engenheiros” da América Latina, significa manter o Brasil em destaque no contexto mundial dessa linha de pesquisa. Assessoria de Comunicação da APTA José Venâncio de Resende (11) 5067-0424 Assessoria de Comunicação do Instituto de Pesca Antonio Carlos Simões (13) 3261-5474
Pin It

Notícias por Ano