cabecalho apta130219

PAÍSES REUNEM-SE EM BRASÍLIA PARA ANALISAR PROGRAMA DE CONTROLE DA RAIVA NAS AMÉRICAS

A coordenadora do Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívaros e outras Encefalopatias, Carla da Silva Goulart, participa na próxima semana, nos dias 12 e 13 de outubro, da XI Reunião dos Diretores Nacionais de Controle de Raiva da América Latina (XI REDIPRA). O encontro reunirá 22 representantes dos ministérios da Saúde e Agricultura dos países das Américas. A XI Redibra acontece em Brasília, na sede da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), organizadora do evento, com apoio dos ministérios da Agricultura e da Saúde do Brasil. Antecedendo a REDIPRA, nos dias 10 e 11, será realizado o “Seminário sobre a Raiva Transmitido por Morcegos Hematófagos”, também organizado pela OPAS, ligada à Organização Mundial da Saúde (OMS), Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e pela Organização de Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA). A REDIPRA é uma reunião dos diretores nacionais dos programas de raiva dos ministérios da Saúde e da Agricultura dos paises das Américas que acontece cada dois anos em diferentes paises das Américas. Conta com a presença de observadores de organizações de pesquisa, universidades e de organismos internacionais de cooperação técnica como BID, OIE, OTCA, FAO, OIRSA, IICA e OMS. A agenda inclui temas como: análise da situação dos programas de raiva dos paises das Américas, atenção das pessoas expostas ao vírus, eliminação da raiva humana transmitida pelo cão, prevenção da raiva transmitida pelo morcego e propostas de trabalho para as atividades de combate a raiva com integração do setores de saúde e agricultura. Segundo Miguel Genovese, Diretor do Centro Pan-Americando de Febre Aftosa (Panaftosa-OPAS/OMS), o objetivo de eliminar a raiva transmitida pelo cão pode ser alcançado em um curto prazo. “Quando o programa regional foi criado, em 1983, tínhamos uma media de 350 pessoas mortas por ano por raiva transmitida pelo cão nas Américas. Em 2005 aconteceram 11casos e o problema foi eliminado na maioria dos países da América Latina”, explicou. Esta reunião tem o objetivo de revisar as estratégias do Plano Regional de Prevenção da Raiva Humana, produzir recomendações aos países para completar o processo da eliminação da raiva transmitida pelo cão e diminuir o risco da raiva transmitida por espécies de vida silvestre nas Américas. Albino Belotto, chefe do Programa de Saúde Pública Veterinária da OPAS destacou a importância do trabalho conjunto dos organismos de saúde e agricultura no combate da raiva. Em 2004 e 2005 a incidência de raiva transmitida por morcegos hematófagos aumentou significativamente em áreas tropicais e subtropicais da América do Sul.
Pin It

Notícias por Ano