cabecalho apta130219

Pesquisador do Instituto de Pesca introduz conceitos de Neuroendocrinologia em estudos com peixes

O pesquisador Eduardo de Medeiros Ferraz, do Instituto de Pesca (IP-APTA) vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento, começa a introduzir conceitos de neuroendocrinologia (fusão da neurologia com a endocrinologia) nos estudos sobre as complexidades relacionadas ao grupo dos peixes. Ele entende haver necessidade de maiores esclarecimentos das inter-relações entre os diversos grupos animais, justificando as comparações existentes. “Várias correntes evolutivas mostram como muitos mecanismos neuroendócrinos antes considerados individualmente entre as várias espécies são, na verdade, semelhantes e mantidos na maioria das espécies”.
Recentemente, entre 27 de fevereiro e 12 de março, Ferraz participou na Argentina do “Curso de Neuroendocrinologia Comparada”, promovido pelo Departamento de Biodiversidad y Biologia Experimental da Facultad de Ciencias Exactas y Naturales da Universidad de Buenos Aires. O propósito era buscar a especialização na área da neurociência aplicada em pesquisas relacionadas ao eixo hipotálamo-hipófise-gônada e suas implicações sobre a reprodução de peixes.
Segundo o professor Matias Pandolfi, responsável pelo curso, o conceito da neuroendocrinologia surgiu da fusão da neurologia com a endocrinologia, que são avaliadas hoje de maneira conjunta. Esse curso abordou de maneira ampla todas as novas descobertas de hormônios e neurotransmissores que atuam através do sistema nervoso central e periférico sobre o ciclo de vida de diferentes grupos animais.
A ideia do evento, explica Ferraz, foi apresentar esses conceitos de maneira comparativa e do ponto de vista evolutivo, levando em conta as diferentes fases do ciclo de vida, mas com ênfase nos ciclos reprodutivos. Para o pesquisador, as informações obtidas neste curso, aliadas àquelas de cursos anteriores específicos sobre a endocrinologia de peixes, auxiliaram principalmente o entendimento das relações coordenadas pelo cérebro para a produção e modulação hormonal e de que maneira isto afeta os ciclos reprodutivos (adaptação do texto do jornalista Antonio Carlos Simões).
Outras informações podem ser obtidas com o pesquisador Eduardo Ferraz pelo e-mail emferraz@pesca.sp.gov.br 
Centro de Comunicação do Instituto de Pesca 
Antônio Carlos Simões
(13) 3261-5474
Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
(11) 5067-0424

Pin It

Notícias por Ano