cabecalho apta130219

Pesquisadora da Secretaria de Agricultura e Abastecimento é nova representante da área de Ciências Agrárias no SciELO Brasil

A pesquisadora da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo que atua no Instituto Biológico (IB-APTA), Silvia Regina Galleti, foi eleita para representar os editores dos periódicos da área de Ciências Agrárias indexados na biblioteca eletrônica SciELO. Editora-chefe da revista Arquivos do Instituto Biológico (AIB), Silvia foi escolhida, em votação, pelos editores das 39 revistas científicas de agrárias que integram o Programa SciELO – que conta com um total de quase 300 títulos. A eleição acontece a cada dois anos.

Silvia atribui sua escolha ao fato de estar sempre envolvida nas ações e eventos voltados à editoração científica, demonstrando protagonismo à frente da AIB. “Tento sempre participar e me fazer presente nestas ações, mostrando a importância do periódico e nosso papel na Instituição. Sinto-me reconhecida diante destes colegas que, para mim, são referências. São nomes e periódicos de extrema importância para as Ciências Agrárias no país e também com projeção no exterior”, comenta.

A pesquisadora vai passar a integrar o Comitê Consultivo SciELO Brasil, que congrega os editores representantes das seis áreas de publicação do SciELO (Agrárias; Biológicas; Exatas; Humanas; Letras, Linguística e Artes; e Saúde), além do diretor do Programa e representantes de entidades de fomento à pesquisa e editoração científica. “O papel dos membros desse Comitê é colaborar no aperfeiçoamento do papel do SciELO – tanto como um todo quanto para cada periódico, individualmente –, avaliar a inclusão de novos periódicos na base, a manutenção e a exclusão de outros. Este comitê delibera quem entra, quem permanece e quem sai do SciELO, tudo com base em avaliações”, afirma Silvia. Conforme explica, o Programa SciELO tem uma base de análises estatísticas de indicadores bibliométricos, através da qual o comitê consegue saber o impacto que cada revista exerce no meio acadêmico. “Se alguma revista não estiver tendo um bom desempenho, será avaliada pelo comitê, que delibera se ela merece permanecer e diz o que ela precisa fazer para isso, dando aconselhamentos para que melhore. Além disso, os próprios critérios também são constantemente discutidos e aprimorados”, pormenoriza a pesquisadora.

Sílvia acredita que sua escolha para a representação junto ao SciELO está também ligada ao prestígio que a AIB e as Instituições de pesquisa da Secretaria de Agricultura detêm no cenário da pesquisa agropecuária brasileira. “Acho que essa escolha eleva a visibilidade da revista e, consequentemente, a visibilidade do IB, mostrando que o Instituto tem uma revista forte, que já completou 91 anos, além de elevar o nome da APTA e da SAA”, diz a nova representante, lembrando que outros dois periódicos da Secretaria integram a base do SciELO – Bragantia, editado pelo Instituto Agronômico (IAC-APTA), e Brazilian Journal of Food Technology, do Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL-APTA) . “As Revistas do Instituto de Pesca (IP-APTA) e Instituto de Zootecnia (IZ-APTA) também estão lutando para serem aceitas na base SciELO. Tendo alguém da APTA nessa representação, é possível dar uma melhor orientação dos caminhos que elas devem tomar para conseguirem essa inserção”, finaliza Silvia.

Pin It

Notícias por Ano