cabecalho apta130219

Soja responde por 78,4% da produção de mais de um milhão de m3 de biodiesel

A produção brasileira de biodiesel atingiu 1,16 milhão de m3 em 2008, segundo estudo das pesquisadoras Silene Maria de Freitas e Katia Nachiluk, do Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA) vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. No ano anterior (2007), o volume produzido do biocombustível foi de 404 mil m3, em relação aos 736m3 de 2005, devido à preocupação com o meio ambiente na emissão de poluentes e da intenção de reduzir a importação de diesel mineral, entre outros fatores. “A Lei 11.097/05 estabeleceu que, em janeiro de 2008, todo óleo diesel comercializado no Brasil deveria conter 2% de biodiesel; sendo assim, a produção estimada de biodiesel para 2008 seria de 889.157,66m3/ano. No entanto, o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) antecipou a adição de 3% de biodiesel ao óleo diesel, a partir de 01 de julho de 2008, e o consumo estimado de biodiesel passou a ser de 1.118.943,32m3/ano ou 1,118 milhão de litros”, dizem as pesquisadoras. A principal matéria-prima utilizada na produção de biodiesel em 2008 foi soja (78,4%), seguida do sebo (16,4%), do óleo de algodão (2,4%) e outros materiais graxos (2,6%), de acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), citada no estudo. Ou seja, os óleos vegetais são considerados a principal matéria-prima para a produção de biodiesel, observam as pesquisadoras. “No entanto, nem todo importante Estado produtor de grãos oleaginosos destaca-se na produção de óleos vegetais ou mesmo biodiesel.” Os Estados com maior capacidade de processamento de óleos vegetais em 2008 foram Paraná (22,6%), Rio Grande do Sul (16,6%), Mato Grosso (16%), Goiás (12,4%) e São Paulo (11,4%). “Nesse sentido, as usinas de biodiesel podem ser verticalizadas junto às usinas de álcool etílico, a exemplo da Barralcool, ou de óleos vegetais, como a ADM, Cargill e etc. Destaca-se também que a grande maioria das usinas de Biodiesel são produtoras independentes”, observam as pesquisadoras O Paraná, que sedia a maior parte de instalações para produção de óleos vegetais do Brasil, perfaz um total de 10,5 milhões de t/ano, segundo as pesquisadoras. “O Estado é o segundo produtor de oleaginosas, sendo que os principais grãos cultivados são soja, algodão e amendoim. No entanto, ocupa o décimo lugar na produção de aditivo verde.” Entre 2007 e 2008, a produção de biodiesel do Mato Grosso cresceu expressivos 1.759,76%, “o que pode ser atribuído a autorização para funcionamento de mais cinco usinas”. Já o Rio Grande do Sul - que ocupa a segunda posição no ranking nacional na capacidade instalada para produção de óleos vegetais e o primeiro na produção de combustível verde - produz soja e amendoim, além de ser o segundo maior produtor brasileiro de girassol. Os Estados de Piauí, Tocantins e Pará tiveram um desempenho desfavorável na produção brasileira de biodiesel, bem como Bahia, Ceará e Minas Gerais, onde se destaca a produção de mamona, analisam as pesquisadoras. “No entanto, mesmo com diversos estados apresentando taxas negativas de crescimento, o Brasil foi capaz de produzir 1.164.332,00m3/ano de biodiesel, equiparando a oferta à demanda. Conclui-se que qualquer intempérie na produção de matérias-primas para o biodiesel inibe o equilíbrio do mercado.” A íntegra do artigo está disponível no site www.iea.sp.gov.br. Assessoria de Comunicação da APTA José Venâncio de Resende (11) 5067-0424
Pin It

Notícias por Ano