cabecalho apta130219

Programa de Treinamento de Startups da Rede NIT-APTA/SAA busca transformar tecnologias promissoras em novos negócios

A Rede de Núcleos de Inovação Tecnológica da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Rede NIT-APTA), órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA), promove o Programa de Treinamento de Startups. A iniciativa é realizada em parceria com o Agropolo Campinas-Brasil, plataforma interinstitucional fundamentada no conceito da inovação colaborativa. O programa visa fomentar o empreendedorismo e o desenvolvimento de negócios com foco no agro e interface com alimentos, saúde, bioenergia e produtos químicos, a fim de transformar os mais promissores resultados de pesquisa científica em ideias de negócio. Ao todo, 24 equipes inscreveram seus projetos e estão em fase de seleção, que deve ser concluída no decorrer de abril.
Segundo a pesquisadora do Instituto Agronômico (IAC-APTA) e diretora do NIT-IAC, Lilian Anefalos, que integra a comissão organizadora do programa, a iniciativa nasceu de uma sugestão do consultor especializado em inovação Flávio Grynszpan feita ao Instituto Agronômico/NIT-IAC. Grynszpan é um dos coordenadores, na Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), do curso PIPE-Empreendedor - Programa de Treinamento em Empreendedorismo de Alta Tecnologia, no âmbito do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) - modalidade de fomento da fundação para impulsionar novos negócios. O PIPE-Empreendedor tem como objetivo “conferir mais robustez e sustentabilidade comercial às propostas aprovadas no âmbito do Programa PIPE”, de acordo com o site do programa (www.fapesp.br/pipe/empreendedor). “Ele nos procurou para avaliar a possibilidade de implantar o programa aqui no IAC, para fazermos um tipo de pré-PIPE”, comenta Lilian. A partir daí, a iniciativa se estendeu à toda Rede NIT-APTA e ao Agropolo Campinas-Brasil.
“Abrimos para todos os interessados, concentrando nos programas de Pós-Graduação dos Institutos de Pesquisa, pesquisadores e pós-doutorandos. Essa informação se disseminou e tivemos também ex-alunos, pessoas que já não estavam mais vinculadas aos nossos Institutos”, diz Lilian. “Essa primeira edição tem como um de seus objetivos fazer com que o público alvo se interesse por esse tipo de programa e assimile o que é uma startup, um programa de treinamento em empreendedorismo e qual sua relação com o PIPE”, complementa.

Prospecção de novos negócios

Na primeira fase do treinamento, ‘Identificando potenciais negócios a partir de resultados de pesquisa’, que aconteceu no mês de fevereiro, com a participação de Grynszpan, os participantes se familiarizaram com os elementos básicos para a formulação de negócios baseados em tecnologias e com o cenário existente e os desafios relacionados às startups do agro. O consultor ressaltou as mudanças na dinâmica do mercado de trabalho atual e os espaços que se apresentam para ideias inovadoras de base tecnológica, o que somado às mudanças na Lei de Inovação, propiciam ambiente favorável para o empreendedorismo – o chamado “ecossistema de inovação”.
Os presentes foram incentivados a formar equipes que trabalhariam em torno de um projeto inovador de base tecnológica, submetido à análise de um júri indicado pela comissão organizadora, quanto ao potencial para se tornar um novo negócio. “São 24 equipes inscritas e agora estamos na fase de seleção. Iremos fechar o número de equipes a partir da seleção, avaliando as propostas. Na sequência, faremos a divulgação das equipes selecionadas, que participarão da 3ª fase - o treinamento, propriamente dito”, esclarece Lilian. A ideia é ir filtrando, partindo das pessoas que estavam apenas interessadas para chegar àquelas que, de fato, possuam propostas de negócio com potencial e consistência, estando aptas a tirar maior proveito do treinamento, que contará com aulas presenciais e à distância, ministradas pela equipe de Grynszpan.
As equipes devem conter, além dos jovens empreendedores, ao menos um pesquisador dos Institutos de Pesquisada APTA. “Queremos promover esses projetos com startups que envolvam os pesquisadores dos Institutos. Essa é a filosofia do Programa de Treinamento de Startups APTA/SAA. Queremos trazer para perto esses novos empreendedores para que eles desenvolvam seus projetos em conjunto com os Institutos, utilizando toda nossa expertise, compartilhando o que temos nas Instituições Científicas e Tecnológicas do Estado de São Paulo (ICTESPs), para criar algo que seja importante para o setor produtivo”, enfatiza a diretora do NIT-IAC.
Outra figura importante no processo é a do mentor. Os mentores são pesquisadores ou membros de entidades privadas com experiência na pesquisa científica, que realizaram curso de capacitação específico, ministrado por Grynszpan e sua equipe. Os mentores qualificados acompanharão cada um dos grupos selecionados no decorrer do treinamento, estando presentes, também, no dia a dia das equipes, com reuniões periódicas com os integrantes.

Da invenção ao mercado

Apesar de muitas pesquisas científicas gerarem resultados promissores e tecnologias potencialmente inovadoras, isso não significa que estas se converterão em bons modelos de negócios. Há outros elementos, relacionados às características de cada produto ou serviço em função do mercado em que serão inseridas, que podem definir o futuro de cada empreendimento – e mesmo dizer se ele é viável ou não.
“Os empreendedores, muitas vezes, pensam em termos de novos conhecimentos e tecnologias, mas não em novos negócios, porque não foram capacitados para isso”, comenta a pesquisadora.
Apesar dos desafios, há um grande leque de oportunidades no agro para as startups, o que motiva os jovens empreendedores. “A ideia é que se tenha uma oferta de novos serviços e produtos, que as empresas já estabelecidas ainda não ofereçam, possibilitando ao setor do agronegócio, acesso mais rápido e direto a essas novas tecnologias, com custos mais baixos, suprindo ou complementando o que as empresas existentes no mercado já oferecem”, conclui a pesquisadora do IAC.

 

Por Gustavo Almeida
Assessoria de Imprensa APTA

Pin It

Notícias por Ano